Waiting For Forever

Voltei. Depois de cinquenta anos sem postar, eu voltei. Agora estou de molho em casa por quase uma semana e a culpa é da minha querida vesícula, mas já está quase tudo bem de novo. Nesse meio tempo em que eu não podia nem sair da cama direito eu aproveitei para ver e rever alguns filmes e um deles me ganhou completamente.

Imagem

“Melhores amigos enquanto cresciam, Emma (Rachel Bilson) e Will (Tom Sturridge) perderam contato um bom tempo atrás-até onde ela sabe. Para Will, Emma nunca deixou de ser a pessoa mais importante da sua vida. Acreditando que eles estão ligados para sempre, ele vai aonde ela vai. Will não possui casa, carro, ou um trabalho ‘de verdade’. Ele sobrevive de seu talento como malabarista e talentos performáticos afiados com anos de exibição para Emma. Quando o pai dela fica doente, Emma volta para sua cidade natal, tentando deixar pra trás sua vida amorosa complicada e uma carreira fracassada como atriz.” (Filmow)

O título é bastante sugestivo para a história do filme, que é completamente lindo e com um pouquinho de drama no meio… É exatamente o tipo de filme que me faz querer ver uma vez atrás da outra e se tornou um dos meus favoritos em pouquíssimo tempo.

ImagemAh! É claro que eu não deixaria de falar da trilha sonora que é toda linda e bem curtinha. Vale a pena baixar e ouvir até cansar.  Até postaria se eu não tivesse uma grande dificuldade em anexar a playlist aqui, pois é. Um dia eu aprendo.

A questão principal é: Por quanto tempo você esperaria pelo amor da sua vida?

Imagem

Anúncios

6 Motivos para amar (ou não) “Meu Namorado É um Zumbi”

E aí, gente… Eu sei que eu sumi daqui e fiz um último post bem aleatório, mas não queria deixar o blog largado. Ah! Até ouvi reclamação por falta de post. O problema é, que eu não imaginei que a volta às aulas iria me distanciar tanto assim do blog. E só para deixar bem claro, eu concordo com cada ponto do último post. Para mim, O Teatro Mágico é uma das bandas mais incríveis do mundo, mas isso é coisa para outro post.

Enfim, estou com esse post pré-montado na cabeça desde que eu saí da sala do cinema, com os meus amigos (eles foram obrigados e saíram assim do cinema), no fim do carnaval e imagino que a essa altura do campeonato muita gente já assistiu ao filme. Ainda assim, sou insistente e farei o post para a galerinha que ainda não viu.

Imagem

1. O filme passa uma mensagem bem legal

Apesar de uma América destruída pela guerra e pelo colapso social, “R” (Nicholas Hoult) e Julie (Teresa Palmer) nos mostram que sempre vai existir a possibilidade da mudança, que só dependemos de nós mesmos para mudar qualquer coisa. O mundo é o que fazemos dele, basta ter um pouquinho só de  amor com o próximo!

2. Tudo em um só

Pelas críticas que eu andei lendo antes de assistir ao filme e pelas minhas conclusões um dos pontos altos do filme é que ele pode ser aquela comédia romântica bem água com açúcar, que deixa as pessoas com sorrisinhos bobos, mas tem as cenas de aventura e luta entre zumbis, esqueléticos e humanos.

Imagem

3. Um zumbi bastante diferente

“R”, apesar de ser um zumbi, consegue pronunciar algumas sílabas. Não se lembra de muita coisa da sua vida, mas sente saudades e até sonha. Quando eu vi o trailer pela primeira vez a minha reação foi totalmente negativa, mas depois eu pensei bem e lembrei que foi a mesma coisa com o vampiro brilhante de crepúsculo, que eu (desculpa, sociedade) sou apaixonada. Além do mais, Nicholas Hoult interpreta o zumbi e isso nos leva ao tópico 4.

4. Nicholas Hoult who?

É um ator e modelo britânico. Interpretou Tony Stonem nas duas primeiras temporadas de Skins (♥), mas vocês já devem tê-lo visto em X-Men: First Class, Fúria de Titãs, Mad Max, entre outros menos conhecidos. O cara tem tudo para ser um desses queridinhos da mídia e foi um dos meus incentivos para ver o filme.

5. Trilha sonora mais do que incrível!

Não é legal quando você está vendo um filme e começa a tocar aquela música que você gosta? Ou quando você conhece uma música legal por causa de um filme mais legal ainda? Tenho certeza que isso não aconteceu só comigo. A trilha sonora desse filme vai do pop até as músicas antigas do papai ao rock. Eu sou uma completa apaixonada por música e já conhecia algumas das que tocam no filme e as que eu não conhecia, só me fizeram querer a trilha sonora completa logo.

6. O filme é baseado em um livro

Eu sei que já é tão normal os filmes serem baseados em livros, mas vale a pena citar isso aqui. Eu ainda não li e nem encontrei em nenhuma livraria próxima o livro “Sangue Quente”, mas imagino que seja tão bom quanto o filme. Aguardem por uma resenha sobre o livro!

Imagem

Ufa! Acabei. Esses foram os motivos que me fizeram apaixonar pelo filme e sair do cinema com vontade de voltar lá e ver mais uma vez. Eu até tentei convencer o meu primo a assistir de novo no aniversário dele, mas não consegui e nós vimos “Inatividade Paranormal” (ECA!). Por hoje é só, pessoal!